Aceito encomendas de pinturas e desenhos. Entre em contato pelo e-mail: semacucar-porfavor@hotmail.com

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Aquela garota


 É inevitável. Acontece. A vida sempre muda.
 Falar sobre mim nunca foi um problema... até agora. Muita coisa mudou na minha vida nos últimos tempos. E não é do tipo: "Veja como minha vida está maravilhosa! É realmente como sonhei!", mas estou satisfeita apenas pelo fato de eu continuar viva.
 Um dia após o outro, as coisas mudam, o mundo muda. E você pode acordar de manhã e ver que sua vida está virada do avesso. Mas essa é a graça de viver: "Aprender a conviver com problemas".

 Tudo está constantemente se movendo. Rapidamente.
 Onde está a garota do início do ano?
 Garota que conseguia acompanhar a escola e ia bem nas matérias. Era organizada e tinha certa medida de responsabilidade. Bem, ela tinha mais do que agora.
 Garota que vibrava toda vez que ouvia Houdini da Foster The People ou Carried Away da Passion Pit.
 Garota que agora ouve a trilha sonora de As vantagens de ser invisível e o novo cd inteiro de Paramore.
 Garota que não usa mais maquiagem como usava antes. Na verdade, agora ela odeia maquiagem e tudo que a faz se sentir presa, dependente e sufocada.
 Garota que não se importa mais em sentir dor ou em passar noites em claro.
 Garota que chora somente quando volta a ser aquela garota.
 Garota que pensava que tinha amadurecido em 2012, e viu sua vida mudar novamente em 2013. É a mesma garota que se achava madura em 2011 e 2010. Mas, conforme todos esses anos foram passando, ela continuou amadurecendo.
 Garota que deixou um pouco de lado não apenas o Blog, mas sua vida.
 O que fez de sua vida a garota?
 Quantas horas foram perdidas em vão?
 Quanto ela podia ter evoluído e melhorado na escola?
 Quantas notas boas ela poderia ter tirado? Quantos trabalhos dignos poderiam ter sido feitos de suas mãos?
 Quantas boas escolhas ela poderia ter feito?
 Garota que ás vezes sente que lhe falta palavras. Lhe falta atitude. Lhe falta força também. Mas acima de tudo, palavras.
 Garota. Garota. Como mudaste!
 Olhe onde está o seu cabelo!!! Como cresceu desde o início do ano!
 Garota. Garota. Como mudaste. Sentiste falta do que eras antes?
 Garota. Garota. Como serás daqui pra frente?
 É a pergunta que todos fazem, todos os dias, enquanto estiverem cônscios. Mas ninguém sabe a resposta.
 Garota que já não sente mais enjoos ou frio na barriga ao pensar em uma certa pessoa. Garota que não se sente indigna ou inútil.
 Garota que não se sente mal por coisas passadas. Não sente mais os arrependimento ou o enjoo que esses causam.
 Não sofre mais pelo passado. Pelas coisas feitas ou pelas que poderia ter feito.
 Então porque faz-se tantas perguntas, garota?
 Este post está cheio delas. Este post é uma delas.
 Garota. Garota. Como mudaste!
 Que alegria em ver que cresceu (seu cabelo)!
 Conheceu pessoas novas e foi para lugares onde nunca havia pisado antes.
 Quebrou a cabeça por conversas sem sentido e passou por situações inesperadas.
 Sente falta de alguns dias. De outros, repele e dá graças pelo tempo ser constante. 
Garota que foi feliz. Foi triste. Foi confusa. Foi madura. Foi mãe. Foi amiga. Foi filha. Irmã. Amada. Odiada. Foi garota.

 Garota sabe que o tempo é constante. Garota sabe.

Escrevi enquanto ouvia: Evensong, The Innocence Mission.

sábado, 22 de junho de 2013

Olhos verdes



 Era a coisa que mais me chamava atenção nele. Aqueles grandes olhos verdes. Tão lindos que me deixavam sem graça de ficar encarando. Mas seu olhar era hipnotizador e não tinha como parar.
 Esse deve ser meu primeiro post feliz em muito tempo. Não sei quanto tempo levará para eu escrever outro assim. Talvez na próxima vez que eu o reencontre.
 Eu poderia ficar escrevendo sem parar em como ele é lindo, alto e fofo. Mas essas três palavrinhas já me fazem sentir patética.
 Eu fiz uma loucura hoje. Daquelas que eu fazia há séculos atrás. Mas, acredite, dessa vez foi mais leve. Eu me senti leve ao lado dele.
 Pensando bem... talvez todas essas palavras bonitas e poéticas só estraguem todo o lance. Todo o caso. Todo o dia. Talvez não seja bom ficar escrevendo sobre como algumas experiências são boas, tornando elas bobas e me causando- particularmente- vergonha. Como dizia o meu autor favorito no livro 'A garota das laranjas': "Não devemos chegar muito perto de alguns contos de fadas; pode quebrar a magia."
 Eu fiquei tão ansiosa para revê-lo. Fiquei horas quebrando a cabeça imaginando se tudo daria certo. "Vai chover, não vai dar certo", pensei. "É melhor ele não ir, é melhor ele não aparecer". Porém, por piores que tenham sido as minhas ideias formuladas, nada de mal aconteceu. A não ser o terrível fato de revê-lo. Haha
 Confesso que não apenas estremeci, também quase tive um ataque do coração. Aquele maldito não parava quieto no peito. Acho que batia tão forte que qualquer pessoa que passasse por mim notaria. Isso sempre acontece comigo quando vou me encontrar com alguém especial. Alguém que eu sempre julgo não ser boa o bastante.
 Uau! Pela primeira vez me sinto sensata. Acho que não estou trocando os sentimentos e as palavras e me expressando mal. Foi exatamente isso o que aconteceu.
 Uau, essa palavra ficaria bem em outra frase. Em outro contexto.
 "Uau" seria a palavra que todas profeririam ao olharem nos olhos dele. Mas para o azar de todas, quem passou um tempinho fitando-os fui eu. (:
 [...]
 Por um lado foi ótimo. Mas por outro foi péssimo. Eu não sei se fiz tudo certo. Acho que todas as garotas ficam encanadas depois de um encontro e ficam pensando em mil coisas erradas que podem ter feito ou dito. Mas, minha gente, ACORDEM, não foi um encontro. E não estou nem aí para as coisas que disse ou fiz. Ou se meu cabelo não estava legal. HAHA
 E lá vou eu me entregar de bandeja para a vergonha.
 Okay... O sono já está me fazendo dizer coisas sem sentido. Talvez nada tenha tido real sentido nesse dia.
 Mesmo assim o dia foi bom. Porque mostrei quem eu sou. E gostando ou não, essa sou eu.
[ Particularmente acho que ele deve ter detestado! ]
 Eu diria que espero isso ou aquilo. Mas na realidade, pela primeira vez, não espero nada.

 Não espero nada, olhos verdes.
 Só espero que tenha uma boa noite.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Estou clichê

  Grande problema. Magoei quem não queria. Tudo isso a troco de nada. Me arrependo por ter dito o que disse. Me envergonho das coisas que fiz. Acredite, eu sai machucada dessa.
 Quando eu penso que acabou, começa tudo de novo. Eu não quis causar mal a ninguém.
 Sei que nunca lerá isso. Choro pensando em você. Não suporto a ideia de que te magoei.
 Sei que ás vezes sou confusa e digo coisas sem sentido. Não fazem sentido pra vocês, mas pra mim sim.
 Eu sou patética. Devem estar rindo de mim. 
 Desejo voltar no tempo e não dizer as coisas que eu disse. Eu poderia ter evitado muita coisa. Poderia ter evitado conhecer você.
 Como é impossível voltar atrás, desejo sair dessa cidade, desse país, desse mundo! Ficar longe de tudo e de todos por algum tempo. É isso que eu preciso. Ás vezes eu fico pensando como seria aliviador estar em coma. Minha mãe me mataria se lesse isso. Mas seria melhor. Ficar fora deste mundo. Apenas dormindo. Desligada. Sem sentir nada. 
 Coração partido. Como faz pra parar de doer? Que clichê. Mas é assim que me sinto. Quanto tempo demora pra tudo se restabelecer, voltar no lugar?
 Devem estar pensando em como sou ridícula. Pensando bem, eu concordo.

[...]
 Quer saber? Vocês todos são ridículos. Vocês também cometem erros. Vocês também se machucam e machucam os outros. Vou parar de ficar colocando mais peso sobre mim. De ficar me culpando.
 Como eu já pedi, educadamente, em vários outros posts: CALEM A BOCA TODOS VOCÊS!

terça-feira, 18 de junho de 2013

É preciso viver

 Você me faz sentir doente
 Você me faz sentir enjoada
 Você me faz chorar
 Você faz meu estomago embrulhar
 Mas é preciso estar viva para isso.

 Você tenta me entender
 Você tenta não me fazer sofrer
 Você tenta não estragar as coisas
 Você tenta não dizer
 Mas é preciso estar vivo para isso.

 Você acaba dizendo
 Eu acabo lendo
 Eu acabo ouvindo sermões
 Me xingam, gritam comigo
 Mas tudo isso porque estou viva.

 É preciso viver para amadurecer
 Que coisa ridícula
 Mais ridícula que a própria vida
 Era minha teoria
 Mas foi preciso viver para criá-la.

 Me amarrei
 Me enlacei
 Vou ouvir gritos
 Vou ouvir
 Estou ouvindo
 Mas é preciso estar viva para escutar isso.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Me diz as palavras que eu tenho que dizer

 Porque ninguém me compreende? Ninguém me dá espaço? Me dá ar pra respirar? Me tira do sufoco? Me dá ajuda? Me diz as palavras que eu tenho que dizer...
 Foi um momento estranho. No instante em que eu me sentei para digitar um post no blog sobre... eu ter me afastado de certas pessoas, uma certa pessoa me manda uma mensagem no facebook e me faz rever tudo o que eu escreveria aqui.
 Minha mãe está me mandando desligar e ir dormir. Mas eu não conseguiria nem se quisesse. Eu não tenho motivos pra estar aqui, na frente de um computador, sem saber o que digitar...
 Eu quero encontrar algum ponto sólido nessa minha mente turbulenta e ofuscada.

[...]
 Eu tô com sono e com dor no corpo, mas é isso que eu tenho que fazer.
 Eu me afastei  de muitas pessoas há algumas semanas, ou meses, ou anos, ou foram apenas dias, eu não sei... Não me lembro. Meus motivos? Esses são interessantes.
 Mas não são deles que eu quero falar...
 Quero falar de mim. Quero falar de você.
 O que você viu em mim? O que eu vi em você?
 Uma tela de computador?
 O que somos um para o outro?
 Amigos da internet?
 "Amigos"? Fala sério... Não somos nem isso.
 Não nos conhecemos.
 Okay. Quer ouvir a verdade? Vou gritar a verdade!
 EU NÃO AGUENTO MAIS AS PESSOAS ENTRAREM NA MINHA VIDA SEM NADA A ME ACRESCENTAR!
 O que você fez por mim? O que fiz por você?
Sinto muito se não pude te ajudar. Eu gostaria de ter feito mais...

Eu não disse adeus. Agora deve ser o momento. Eu nunca sei o momento certo.
Espera... Antes que chegue o momento de eu me despedir, por favor, grite no meu ouvido as palavras que eu preciso ouvir:
 Eu sou uma ridícula garota vazia. Sem nada a acrescentar. Que faz fotos e se acha linda. Que quer conhecer o mundo e as pessoas. Que deseja aprender cada vez mais e ensinar cada vez mais. Eu me odeio por isso. Me odeio por ser tão fútil. Por não ter te ajudado. Por não ter ME ajudado quando eu pude. Eu deveria ter me afastado no início.
 Eu sou tão feia. Eu sou tão feia.
 O que eu mais desejo nesse instante é que você grite isso pra mim.

 Ah... Antes que me esqueça, adeus.

Poema: As vantagens de ser invisível

 Encontrei a pouco, em uma das cenas deletadas do filme "As vantagens de ser invisível", Charlie recitando um poema muito bonito:


 "Em um papel amarelo com linhas verdes
 Ele escreveu um poema
 E chamou de 'Dentinho'
 Porque era o nome do cachorro dele
 E era disso que se tratava
 O seu professor deu nota 10 e uma estrela dourada
 E sua mãe pendurou na porta da cozinha
 E leu para suas tias
 Foi o mesmo ano que o padre Tracy
 Levou as crianças para o zoológico
 Deixou que cantassem no ônibus
 Sua irmã recém nascida
 Tinha unhas pequenas e nenhum fio de cabelo
 Seus pais se beijavam muito
 E a garota da esquina lhe mandou um beijo
 Ele perguntou ao pai o que aquilo significava
 O seu pai sempre o colocava na cama
 E sempre estava lá pra isso

 Em um papel branco com linhas azuis
 Ele escreveu um poema
 E chamou de 'Outono' 
 Porque era o nome da estação do ano
 E era disso que se tratava
 O seu professor deu nota 10 e pediu que melhorasse
 E sua mãe nunca pendurou na porta da cozinha
 Por causa da tinta fresca
 As crianças disseram para ele que o padre Tracy fumava
 Deixava bitucas nos bancos da igreja
 Que ás vezes queimavam formando buracos
 Foi no mesmo ano que sua irmã passou a usar óculos
 De lentes grossas e armações pretas
 E a garota da esquina riu quando ele quis ver o Papai Noel.
 As crianças perguntavam por que seus pais se beijavam tanto.
 E seu pai nunca mais o colocou na cama
 E seu pai ficou bravo quando ele chorou por isso

 Em uma folha arrancada de seu caderno
 Ele escreveu um poema
 E chamou de 'Inocência: Uma dúvida'
 Porque ele tinha dúvidas sobre a inocência de sua namorada
 E era disso que se tratava
 O seu professor deu nota 10 e um olhar estranho
 E sua mãe nunca pendurou na porta da cozinha
 Porque ele nunca mostrou pra ela
 Foi no mesmo ano que padre Tracy morreu
 E ele esqueceu o final do credo dos apóstolos
 E pegou sua irmã namorando na varanda de casa
 E sua mãe e seu pai nunca se beijavam ou conversavam
 E a garota da esquina usava maquiagem demais
 Fazendo ele tossir quando a beijava
 Mas ele a beijava mesmo assim
 Porque era a coisa a se fazer

 Ás 3 da manhã, ele se colocou na cama
 Ao som dos roncos do pai
 Por isso, no verso de um papel pardo
 Ele tentou escrever outro poema
 E chamou de 'absolutamente nada'
 Porque era disso que se tratava
 Ele se deu nota 10
 E um corte em cada pulso
 E pendurou na porta do banheiro
 Porque dessa vez, não chegaria à cozinha."

No último minuto encontro A ESPERANÇA.

 Como eu disse no último post, acordei com meu irmão gritando que havia comprado o filme tão esperado- As vantagens de ser invisível. Valeu a pena esperar.
 Não continuei escrevendo sobre como foi meu dia no último post porque queria que ele fosse exclusivo para o filme.
 Bom, continuando... Depois de assistir e me apaixonar pelo filme "As vantagens de ser invisível" (Tá cansando ficar escrevendo esse nome toda hora), assisti o outro filme que ele comprou, "O lado bom da vida". Amei, recomendo. Estava ansiosa pra assistir. Jenniffer Lawrence (atriz de Jogos Vorazes, amo) arrasou nesse filme. Dançando e tudo o mais. Não tô com vontade de escrever. '-'
 Depois de ter assistido dois filmes de louco no mesmo dia, acho que fiquei meio louca. (mais?)

 A tarde fomos na feira do livro, pois seria o último dia. Chegamos lá e ouvimos das caixas de som "A feira vai fechar em 30 minutos!". Saí correndo feito uma louca procurando o último livro da trilogia de Jogos Vorazes, A Esperança. Ninguém tinha mais o livro! Por sorte, encontrei no último minuto.
 Hehe. Feliz da vida com meu livro e meus filmes!
 Tchau, gente! Façam alguma coisa da vida de vocês.

Nós somos infinitos

 Acordei com meu irmão gritando: "Bia, comprei 'As vantagens de ser invisível' e...", nem esperei ele terminar, comecei a gritar, ainda rouca, na cama. Me levantei correndo, peguei o DVD da mão dele e fui direto para o sofá. Ele também comprou  "O lado bom da vida"- que parecia ser ótimo-, mas estava louca para assistir "As vantagens de ser invisível" desde o ano passado.
 Senti que já estava um pouco familiarizada com os personagens, porque pesquisei muito sobre o filme- li muitas críticas e opiniões.
Simplesmente amei o filme! Não sei direito o que eu esperava, mas superou todas as minhas vãs expectativas. É extremamente fofo e ao mesmo tempo forte. Tem um enredo bem interessante e conta uma história triste. Retrata a intensidade da adolescência e como nessa fase nós nos sentimos tão infinitos. A injustiça das paixões. As escolhas erradas. Os corações partidos. Charlie não sabe lidar muito bem com o sofrimento alheio- nem com o próprio. Ele vê coisas e as entende. Ele sofre em silêncio. 
 Me identifiquei muito com Charlie e com tudo o que ele sente.
 O filme é complexo, cativante, divertido e emocionante. O elenco é maravilhoso. Me arrepiei muito. A trilha sonora é ótima! Já estou ouvindo.

- Sr. Anderson... posso perguntar uma coisa?
- Pode.
- Por que pessoas legais escolhem pessoas erradas pra namorar?
- Aceitamos o amor que imaginamos merecer.
- É possível mostrar que merecem mais?
- Podemos tentar.

- Só me fale como eu faço pra parar.
- Parar o quê?
- As alucinações. A vida de todos eles o  tempo todo. Como eu faço pra parar de ver?
- Ver o quê, Charlie?
- É tanto sofrimento e eu não sei como ignorar.
- O que te machuca?
- Não, não é comigo. São eles. É todo mundo. Não acaba nunca. Você entende?

 Sei que tem gente que diz que essas coisas não acontecem. Tem gente que esquece o que é ter 16 anos quando faz 17. Sei que tudo será história um dia. E que nossas fotos vão se tornar lembranças. E todos nós nos tornaremos mãe a pai. Mas, no momento, esses instantes não são histórias. Está acontecendo. Eu estou aqui. E estou olhando pra ela. Porque ela é tão linda.
[...]
Eu consigo perceber. O momento em que você sabe não ser uma história triste. Você está vivo. Você se levanta e vê as luzes dos prédios e tudo o que te faz pensar. Ouve aquela música na estrada com as pessoas que você mais ama no mundo.
E nesse momento, eu juro, nós somos infinitos!"

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Marca

 Como eu já havia dito aqui no Blog, algumas pessoas- que não tem nada melhor pra fazer da vida-, fazem uma lista de coisas que querem fazer antes de morrer. Exatamente por isso escrevem enquanto estão vivas. :S
 Muitos dizem que fazem isso mesmo sabendo que nunca alcançarão seus objetivos. Outros se agarram ilusoriamente aos itens da tal lista. Mas, afinal, chega dessa ladainha e vamos logo ao que interessa!
--------------------------------------------------------------------------------------------------------
 Meu irmão ficou muito doente esta semana; entre tantos sintomas terríveis, não consigo acreditar na palavra do médico de que é dengue. Ele quase morreu! Parece algo muito pior do que dengue. E ele está bem melhor agora... Dengue se cura em 3 dias, Dr?! Bom... Fiquei muitíssimo preocupada e faltei praticamente a semana inteira da escola para cuidar dele. Fiquei até umas 23hs no posto com ele. Bom, resumindo, cansei. E não emocionalmente, como sempre, mas fisicamente. Fiquei um bagaço mastigado!
 Pra ajudar, só me lembrei ontem que teria prova de geografia hoje. E, sem ter a matéria em dia, desesperei. Mas no final, acabou dando tudo certo- a prova foi fácil e meu dia foi bom. Meu irmão voltou a trabalhar quinta feira (Eu sei o que você deve estar pensando; eu poderia muito bem ter ido estudar na quinta, mas, como eu disse, eu tava um bagaço).
 Só Deus sabe como eu amo esse garoto. Ele vai ser sempre o meu bebê. Sim, vocês estão cansados de saber que eu amo meu irmão- e meio mundo- como se fosse meu filho. Se pudesse, cuidaria dele e da minha mãe a vida toda. Detesto vê-los doentes, vê-los com dor, vê-los sofrer. Sinto vontade de arrancar a dor deles com minha própria mão. Me sinto inútil em não poder curá-los.
---------------------------------------------------------------------------------------------------------
 Bom, chega de drama pessoal por hoje. O caso é que minha mãe acabou pegando um resfriado- Espero que não seja gripe. No posto onde passamos horas e horas naquele dia, havia umas três pessoas isoladas com a gripe H1N1. É um verdadeiro absurdo, já que abriam e fechavam aquelas portas toda hora, todos poderiam muito bem se contaminar. Minha mãe está vacinada, eu não. E aquelas pessoas não deveriam estar ali; deveriam estar recebendo ajuda especializada em um hospital, não apodrecendo em um postinho imundo! A gripe suína ataca os pulmões e a pessoa morre por insuficiência respiratória; vimos várias vezes entrarem com cilindros de oxigênio. A saúde pública está um descaso! Um verdadeiro absurdo! Mas não me surpreende.
 Estou preocupada com minha mãe, apesar dela ter tomado a tal vacina. E se meu irmão, que já está doente, pegar gripe suína? Quem se importa?! 

 E se eu pegar alguma doença? Ou for assassinada nas perigosas ruas da cidade? Ou em algum acidente? Quem se importa?
Haha.
 Bom, já que posso morrer a qualquer momento- e você também-, melhor deixar meu legado. Já há algum tempo, a ideia de que quero deixar minha marca no mundo não me larga. Eu desejo isso. Desejo que as pessoas se lembrem de mim. Isso é tão clichê.
 É meio triste parar pra pensar que pessoas que convivem com você em sua casa, mal te conhecem. Conheço muitas famílias em que não existe diálogo, amizade, muito menos amor. Neste mundo, quem cuida de quem?
 Família é a melhor coisa do mundo. Claro que você não tem culpa se a sua for despedaçada e revirada. Mas de uma coisa eu sei: Ninguém consegue viver sozinho!
 PORÉÉÉÉM, torno a repetir: Escolha bem suas amizades! Haha. Não é só porque apoio a ideia de que ninguém suporta viver sozinho que estou aconselhando você a se juntar com um drogado.
[...]
Só agora me lembrei que eu disse que faria uma daquelas listas no início do texto.
 Lista de coisas que desejo e vou fazer antes de morrer (ou não):

  • Pular de paraquedas- Ok. Clichêzáço! HAHA Acabei de inventar uma palavra. Todos começam essa lista com o desejo de pular de paraquedas. Talvez eu até goste de alguns clichês- apesar de falar tão mal deles.
  • Beijar apaixonadamente alguém que eu ame verdadeiramente- Hahaha. Sorry, guys! Venho assistindo muitos filmes de romance ultimamente e minha boca já está rachando. Que vergonha! Desculpa aí por ser tão melosa.
  • Um show- Sei que não canto bem, mas eu amo. Meu sonho é cantar em meu próprio show. HAHA Deixem-me sonhar, gente.
  • Ter uma obra minha em alguma exposição chique- Zueira, eu não faço questão.
  • Escrever meu segundo livro- Espero que dessa vez seja bom.
  • Ter um filho- Ou mais.
 Já me disseram uma vez que para sermos realizados, devemos ter feito tais coisas: Plantar uma árvore, escrever um livro e ter um filho. Eu já fiz os dois primeiros... Só falta o último.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Love story



 Agora pouco estava assistindo "Cartas para Julieta"- filminho gostoso- e deu uma vontade de me apaixonar! [...] Pensando bem, melhor não.
 Mas ver aquelas cenas clichês românticas, a cidade de Romeu e Julieta- Verona- e todo aquele clima fofo me deixou meio abalada. Haha!

 Me lembrei de como foi a minha virada do ano- De 2012 para 2013. Todos nós ficamos acordados porque nossa nova cadelinha- Maggie- tem trauma de bombas e não queríamos deixá-la sozinha. Passei a noite assistindo o filme "Cartas para Julieta" enquanto comia pêssegos e ameixas. Minha mãe disse que foi a virada mais romântica da vida dela. Por fim, a Maggie dormiu durante todo o tempo e nem ouviu os barulhos- já que o filme estava alto. Depois que o filme acabou, fui para o sbt e tava passando a série The Big Bang Theory. Me apaixonei naquele momento.
-------------------------------------------------------------------------------------------
 AFF!!!!!!!!! ESSA MINHA VIZINHA X%@$ ESTÁ SOLTANDO BOMBAS AGORA! Ai, meu Deus! Dai-me paciência. Essa velha está soltando bombas e quando a sobrinha dela perguntou se tinha sido ela, ela respondeu: "Eu pensei que fosse pequena! Pensei que fosse fraquinha!", "Eu tomei um susto!", "Você assustou? É alta, né? Pensei que fosse fraquinha..."
AAAAAAAAAAAAAAAAAAAFF! Quem tá quase explodindo sou eu com esse cheiro de queimado agora!
-------------------------------------------------------------------------------------------
 Pronto, passou o episódio da bomba e vou continuar a escrever.
 Conheci a música Love Story da Taylor Swift pelo filme e gostei de cara. 

[...]

Momento fofo já passou. Voltei a realidade. Chega de paixão. Essas bombas me despertaram. 
(Vontade de sair chutando tudo. Cadê a minha música??)

terça-feira, 11 de junho de 2013

Tirou as palavras da minha boca.

Os bonitinhos não me atraem. E eu garanto que não estou sendo hipócrita ao dizer isso. É óbvio que acho o Ian Somerhalder um gato, mas na vida real, na minha vida, costuma ser diferente. Meu principal critério para gostar de alguém, pera, não tenho um critério definido. É química. Pá. Uma conversa, um olhar, uma atitude, o momento, tudo conta. Mas o que o que mais pesa, definitivamente, não é a aparência. Nunca foi. Talvez até atrapalhe um pouco, porque o quando o cara é muito bonito fico achando que o flerte é interesse. Não em mim, mas no que construí. Odeio gente interesseira.
 Admiração, respeito, bom humor, perfume marcante, sorriso charmoso e arrepios. Gosto de homens sensíveis, que me transmitem confiança. Não só com palavras, tá? Estamos falando de atitudes. Faz toda diferença. Tá bom, vai, admito, já gostei de uns meninos que me faziam sentir a garota-mulher mais madura do mundo.
 Que fase.
 Ah, por quantas delas eu passei. Já fui a babaca e também a otária.
 Perspectivas diferentes fazem você entender que não existe um príncipe encantado como nos contos de fadas. Existem motivos, escolhas e consequências. Então, quem aparenta ser perfeito o tempo todo é, na real, alguém que provavelmente vive de ostentação. Saiam das redes sociais por um tempo, por favor. Que preguiça, que preguiça.
 Pera, onde estávamos? Ah sim, no meu “mau” gosto.
 Não ligo se ele tem ou não barba. Se usa xadrez ou camisa polo. Escuta rock ou sertanejo. Tem carro ou anda de metrô. Se é mais velho ou bem mais novo. Isso, queridas leitoras, aprendi com o tempo e umas decepções aí, são detalhes.
 Acho que nem existe uma regra. Pelo menos não quando sua vida amorosa deixa de ser um reflexo das séries e filmes que você assiste. Beleza é algo tão relativo. E passageiro. Principalmente se a ideia for realmente engatar em um relacionamento sério e não impressionar suas amigas.  Quando você tá triste só a beleza não te faz sorrir. Não mesmo.
 Por isso, entre os legais e bonitinhos, fico com a primeira opção.
Texto do Blog Depois dos quinze, da Bruna Vieira.

 Tirou as palavras da minha boca.
 Dia desses eu tava pensando exatamente nisso. Esses trechos me marcaram: 
“Saiam das redes sociais por um tempo, por favor.”
“Acho que nem existe uma regra. Pelo menos não quando sua vida amorosa deixa de ser um reflexo das séries e filmes que você assiste.”

 As pessoas estão tão acomodadas a se relacionarem em redes sociais- e inventam paixões em suas cabeças por consequência-, que esqueceram da realidade. Do que realmente vale a pena. Se apaixonam por fotos, pela aparência. Algo tão fútil, algo tão vão.
 Concordo plenamente sobre os filmes e as séries de romance que idealizam o amor de uma forma que ele não é. Criam estereótipos e expectativas… Esses filmes só transmitem mentiras. Na vida real nada é assim.

segunda-feira, 10 de junho de 2013

In your eyes












Resto de fotos do post: Girl on fire.









Mother, you had me...

Mother- John Lennon.♫





Ela quase dormindo, e eu fazendo graça.

Minha mãe precisa de dois óculos pra enxergar. k


Tentando passar batom deitada pra ficar mais bonita pras fotos. Fail.






ETA FOTO LINDA! ↑




HAHA Adoro a cara de brava que ela faz- aprendeu comigo!




Entre caretas e risadas, ela mostra constantemente que me ama. E eu a amo muito. Nada pode medir o tamanho do meu amor.

 ...And I forever had you. ♥